Mistura de sentimentos, mistura de sensações.

31
Dez 08

"Ano Novo, vida nova" - Não é o que dizem? Não sei se concordo bem com esta "teoria".

 

Às vezes há coisas que nunca mudam, tentamos, tentamos, lutamos, mas nunca mudam, ficam sempre iguais. No entanto (e para nosso bem) há sempre coisas que mudam, para melhor ou para pior, muitas vezes.

 

O Ano Novo para mim significa diversão, convivio e amigos. É sempre tão, mas tão alegre o ano novo, é sempre uma nova etapa que começa, sempre um novo ciclo, e por este motivo é tão alegre, todos gostamos de entrar bem no Novo Ano, pois pensamos que quanto mehor entrarmos melhor nos corre o ano.

 

Gostaria de ter a capacidade de estar em mais do que um sítio durante o Reveillon, acompanhada dos importantíssimos, dos importantes, dos menos importantes, dos secundários e também importante, numa de superioridade, dos mais detestados.

 

Ano Novo é sempre ano novo, não é verdade?

publicado por Filipa Sales às 16:51
sinto-me: Confiante
música: Hit The Road Jack - Ray Charles

24
Dez 08

Para mim é sempre bom recordar.

É importante recordar o bom e o mau... O bom devemos recordar para nos sentirmos felizes e para repetir mais tarde se for isso que desejarmos e o mau devemos de recordar para não voltarmos a repetir as experiências.

 

Já passei por momentos muito bons, com as melhores pessoas que conheço e senti-me muito feliz (estou a falar dos amigos verdadeiros!, não estou a falar dos amigos de ocasião, nem dos amigos da noite, nem dos simples conhecidos) e estou sempre disposta a recordá-los e cada vez que faço isso sinto-me bem e sorrio para tudo com a cara da típica parola.

Por outro lado já tive momentos que não quero mesmo repetir, experiências que me pareciam sorridentes mas que mais tarde se revelaram verdadeiros trastes e coisas que nunca deviam ter acontecido. Arrependo-me muito de algumas coisas. Não as voltarei a repetir, pois se as recordo com amargura e com uma espécie de raiva é sinal que não gosto do que se passou por isso nunca mais as hei-de repetir.

 

Há muitas coisas que me fazem recordar bons momentos... Músicas, pessoas, visões, déjà vu's, frases, dizeres...

 

Às vezes penso se tomo as decisões certas na minha vida... Normalmente fico na dúvida, pois nunca tive juízo e faço sempre tudo com muita descontracção e muitas vezes sem pensar nas consequências nem nos riscos. Umas vezes arrependo-me outras não, por isso vou vivendo assim arrependendo-me de alguns passos, recuando, andando em frente, ponderando pouco e agindo de cabeça quente, sim, pois é isso que me faz viver e sentir com força para enfrentar sempre os desafios com pensamento de vitória. Para mim não é exitando, não é ponderando e não agindo de forma espontânea que somos prespicázes, prespicáz é aquele que age sem pensar e acerta naquilo que faz. Não me digo puramente prespicáz, pois há coisas em que não acerto, já errei a minha vida, erros infantis (ou não) provavelmente, mas recordando-os e não os repetindo vou aprendendo.

 

Para isto é que servem as memórias.

 

publicado por Filipa Sales às 02:59
sinto-me: Espontânea
música: Morning Glory - Oasis

04
Dez 08

Quando te dizem "Amo-te para sempre" tu acreditas? Bem, eu não... Acredito no amor, mas não acredito que alguem seja capaz de amar outra pessoa para sempre... É impossível, as pessoas mudam, as suas personalidades mudam, já para não falar que ao envelhecerem ficam mais gordas, mais feias, mais velhas, sei lá... E, por este motivo é como se se fossem tornando pessoas diferentes ao longo dos tempos, resumindo, não estamos a amar o mesmo ser; estamos a amar diferentes personalidades, diferentes corpos, num só, ao longo de uma vida... Mas alguém aguenta uma vida inteira com uma pessoa amando-a "como na primeira vez"? É uma pergunta pretinente... Penso que não... Chega-se a uma fase e passamos do amor, do fogo, da paixão e da actracção física para o hábito, respeito (ou não), amizade (se existir), sei lá... Deixamos de sentir que amamos e somos amados. Isto é terrível, tornamo-nos mais escuros, mais vazios, deixa de existir o brilho a cada manhã, o Sol parece que não brilha, os dias deixam de ser uma aventura. Há aventura e risco sem amor? Desculpem, mas não há; o amor é o cordão de tudo, e não é necessário ser aquele amor por uma pessoa do sexo oposto (ou do mesmo sexo, depende), pode ser por um amigo, o amor a uma aventura, o amor ao gozo e ao divertimento.

 

Ai, o amor... Acredito que existe, mas às vezes penso se não será tudo uma ilusão, já que há tanta gente a viver nela, porque é que o amor não pode ser parte dessa ilusão?

Provas de amor? Como se pode provar um sentimento? Não podem haver provas físicas que se ama... Uma pessoa pode amar outra sem a tocar, sem a beijar, basta o que tá dentro (do coração?), e penso que não podemos provar um sentimento; não é com beijos ou com noites quentes que se prova alguma coisa; beijamos muitas vezes quem não amamos, para passar o tempo, para mostrar superioridade, para magoar outrem...

 

Não se iludam, aprendam, nada é para sempre, o amor não é para sempre, não acreditem no "amo-te para sempre", mentiras (sem intenção por diversas vezes, mas são mentiras, não deixam de o ser).

 

publicado por Filipa Sales às 14:58
sinto-me: Inteligente
música: Summer Jam - The Underdog Project

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
18
19
20

22
23
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Ano Novo

Memórias

Amor

arquivos
2008

mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO